02/12/2020 às 15h39min - Atualizada em 02/12/2020 às 15h26min

Line-up provisório da temporada 2021

Carlos Alberto Goldani - stilohouse.com.br

 Equipes e pilotos inscritos para a próxima temporada

 

Observações
 
Lorenzo Savadori, 27, é um dos novatos inscritos na competição. Embora seja um motociclista experimentado, só foi apresentado à principal categoria nas 3 últimas provas de 2020, quando substituiu Bradley Smith na Aprilia, Conseguiu finalizar uma única prova, a segunda de Valência onde classificou em 18º lugar. Entre 2008 e 2010 competiu na então classe 125cc com uma Aprilia sem, entretanto, conseguir bons resultados. Em 2020 participou do mundial de MotoE com a equipe Trentino Gresini.
 
Os outros estreantes da categoria fizeram seu aprendizado nas categorias de acesso, Luca Marini, 23, o meio-irmão de Valentino Rossi, disputou uma prova da Moto3 em 2013 e uma da Moto2 em 2015 antes de entrar nos mundiais de Moto2 de 2016 a 2020 onde conquistou 6 vitórias e 15 pódios. Sua carreira só deslanchou a partir de 2018 quando mudou para a Sky Racing Team VR46, Marini é contratado pela equipe independente Esponsorama Racing para  pilotar uma Ducati.
 

Moto2 - Enea Bastianini disputa com Luca Marini

Seu colega de equipe é Enea Bastianini, 22, campeão da Moto2 na temporada passada. Bastianini competiu entre 2014 e 2018 na Moto3, promovido para a Moto2 em 2019 conquistou o título da categoria em 2020. Seu currículo inclui 6 vitórias, 3 na Moto3 e 3 na Moto2.
 
Bastianini e Marini são italianos e substituem os pilotos Tito Rabat (Esponsorama), que se retirou da competição e Johann Zarco (Avintia) que migrou para a Pramac Racing.
 
O espanhol Jorge Martin, 22, disputou a Moto3 por 4 temporadas entre 2015 e 2018 e foi o campeão da categoria em 2018, antes de ser promovido para a Moto2, Em 2021 deve ocupar um assento na Pramac Racing substituindo Francesco Bagnaia que foi contratado para compor com Jack Miller a equipe oficial da Ducati.
 
A temporada 2021 conta com a ausência de Bradl Smith, Tito Rabat e de pilotos consagrados como o britânico Cal Crutchlow e os italianos Andrea Dovizioso e Andrea Iannone. Embora veterano e competindo regularmente no mundial desde 2006 totalizando 236 participações, Tito Rabat obteve um título da Moto2 em 2014 e uma carreira totalmente apagada nas 5 temporadas que participou da MotoGP.
 
Ancorado em forte patrocínio, Rabat subiu para a principal categoria em 2016 e teve um ano de estreia difícil, mas marcou pontos regularmente, resultados que persistiram em seu segundo ano. Em 2018, mudou para a Reale Avintia Racing, trocou a moto Honda pela Ducati e obteve algumas performances impressionantes antes de sua temporada ser interrompida por um acidente. Fraturou uma perna em Silverstone e abandonou o resto da temporada. Permaneceu na equipe nos anos seguintes, seu melhor resultado foi um P9 em Barcelona em 2019.
 
Andrea Iannone, o Maniac, estreou na 125cc em 2005, conquistando sua primeira vitória em 2008. Mudou para a Moto2 em 2010 classificando em 3º nas duas primeiras temporadas. Em 2012, o Iannore repetiu a 3ª colocação enfrentando adversários como Marc Márquez e Pol Espargaró. Em 2013 subiu para a MotoGP com a equipe Pramac Racing Team. Após resultados consistentes em seu ano de estreia, assumiu um lugar na equipe oficial da Ducati por dois anos, conquistando sua primeira vitória no GP da Áustria em 2016 e mostrando agressividade na pista. Iannone foi oprotagonista de uma ultrapassagem fantástica nas últimas voltas do GP de Phillip Island em 2015, superando em uma só manobra os pilotos Marc Márquez e Valentino Rossi. O italiano foi contratado pela Suzuki Ecstar em 2017 e, após um começo difícil, apresentou resultados em 2018 conquistando alguns pódios impressionantes.
 
Em 2019 Seu primeiro ano com a Aprilia Racing Team Gresini chegou a liderar a corrida na Austrália antes de terminar a P6 a menos de um segundo do pódio. A carreira de Iannone foi interrompida após ter testado positivo em um exame antidoping. Condenado a uma suspensão por 2 anos recorreu, seu julgamento sofreu forte pressão da Agência Mundial Anti-dopping (WADA) e o veredito ampliou a pena para 4 anos.Foi praticamente decretado o seu (triste) fim de carreira, o italiano só está liberado para competir depois da temporada de 2023.
 
Cal Crutchlow chegou na MotoGP direto da WorldSBK em 2011, trazendo no curriculo o título de campeão mundial de 2009. Passou pela Monster Yamaha Tech3 3 e, em 2014 foi piloto da equipe oficial da Ducati. Em 2015 assumiu um assento na LCR Honda. Conquistou a vitória no GP da República Tcheca em 2016, encerrando um jejum de 35 anos sem a vitória de um piloto britânico (Barry Sheene na Suécia em 1981) na MotoGP. Cal, que dividiu com os pilotos oficiais da Honda a tarefa de desenvolver a RC213V, na temporada de 2021 vai atuar como piloto de testes da Yamaha.
 


Andrea Dovizioso & Cal Crutchlow

Andrea Dovizioso era o segundo piloto mais experiente do grid, sendo superado apenas pelo interminável Valentino Rossi. Nas temporadas de 2019, 2018 e 2017 conseguiu ser aquilo que Ayrton Senna classificou como “o primeiro que perde”, o vice-campeão. Nas pistas desde 2001, o italiano conquistou 1 único mundial, 125cc em 2004. Com 327 participações em GPs, Dovi é o atual recordista em número de pódios com 103. Obteve um total de 24 vitórias em todas as categorias, 15 na MotoGP. E é conhecido como o piloto que recuperou o caminho de vitórias para a fábrica desde a última temporada de Casey Stoner com a Ducati em 2010.
 
Muitos atribuem a falta de maiore brilho na carreira de Andrea Dovizioso, um piloto estratégico, pelo fato de ser ofuscado em seu melhor momento pela ascensão de Marc Márquez
 
A saída de Dovi aparentemente é resultante da ganância do seu empresário. Seus atritos com o Diretor Técnico Gigi Dall’Igna eram conhecidos e inviabilizaram a sua permanência na equipe Ducati. Quando Pol Espargaro assinou com a Honda, a vaga na KTM foi oferecida para ele, porém como a máquina ainda não havia mostrado todo o seu potencial, suas exigências financeiras foram consideradas excessivas pelos austríacos. Andrea Dovizioso afirma que 2021 terá uma temporada sabática, mas poucos acreditam em seu retorno.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »