10/09/2020 às 11h40min - Atualizada em 10/09/2020 às 11h54min

Zâmbia estabelece benchmark global para conservação de florestas comunitárias

DINO


Doze comunidades no Vale do Luangwa estão se beneficiando de pagamentos diretos em dinheiro de 50 milhões de kwachas zambianos (US$ 2,3 milhões) graças a uma parceria com a empresa de conservação florestal BCP (BioCarbon Partners).

O inovador Projeto REDD+ do Baixo Zambeze (LZRP) e o Projeto Florestas Comunitárias de Luangwa (LCFP), facilitados pela BCP em parceria com as comunidades, o Departamento Florestal da Zâmbia e o Departamento de Parques Nacionais e Vida Selvagem da Zâmbia resultaram na monetização direta dos recursos florestais pela população local.

Os projetos da comunidade público-privada definem um novo padrão na conservação das florestas que coloca o país africano na vanguarda dos esforços globais para combater a mudança climática, protegendo os recursos florestais e criando oportunidades de sustento para a população local.

Sua Alteza Real o Chefe Bunda Bunda disse: “Minha comunidade tem trabalhado duro para este sucesso de verificação do REDD+ para a Zâmbia. Agradecemos ao governo por ajudar nossa tribo a acessar os benefícios do REDD+ eàBCP pela parceria, que aumentou o emprego, os meios de subsistência e os projetos de desenvolvimento”.

O LZRP é o primeiro projeto REDD+ do mundo a passar por sete auditorias do Verified Carbon Standard (VCS), permitindo a geração de receita de créditos que compensam as pegadas de carbono de organizações que produzem gases de efeito estufa. O LZRP também foi o primeiro projeto REDD+ na África a alcançar a validação de ouro triplo sob o Climate, Community and Biodiversity Standard (CCBS) para impacto social excepcional.

O CEO da BCP, Hassan Sachedina, afirmou: “Temos o privilégio de apoiar os esforços do governo e da comunidade para conservar o ecossistema Luangwa-Baixo Zambeze, um dos maiores redutos de vida selvagem remanescentes na Terra.

“Este ano foi complicado devidoàpandemia. O financiamento para o turismo e a conservação diminuiu, mas por meio dos esforços extraordinários de nossos parceiros, como o Departamento Florestal, o LCFP canalizou 50 milhões de kwachas zambianos de para as comunidades em 2020. Somos gratos pelo apoio da USAID [Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional] ao desenvolvimento do LCFP. Este é apenas o começo de um modelo de conservação autossustentável de longo prazo que beneficia as comunidades e a vida selvagem”.

Com 944 mil hectares, o LCFP com validação de ouro triplo do CCBS é o maior projeto da África em hectares e melhora a vida de 217 mil pessoas em 12 tribos, enquanto o LZRP cobre 40 mil hectares e beneficia 7 mil pessoas em uma tribo.

Fim

Sobre a BCP
A BCP é uma empresa líder em conservação social na África com a missão de tornar a conservação do habitat da vida selvagem algo valioso para as pessoas. A BCP emprega mais de 160 pessoas em 13 tribos na Zâmbia, em parceria para ajudar a conservar 1 milhão de hectares de habitat em ecossistemas críticos.
www.biocarbonpartners.com

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.


Contato:

Gina Woolley

+260 763 299 406


Fonte: BUSINESS WIRE
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »