19/12/2019 às 10h32min - Atualizada em 20/01/2020 às 12h15min

Caso Onix Plux demonstra importância do recall para segurança

Portaria estabelece que vai figurar no licenciamento o não atendimento a um recall

DINO


O recente chamado para um recall feito pela Chevrolet para os modelos Onix Plus volta a chamar a atenção para esse grande inconveniente que afeta proprietários e indústria. O recall ocorre, segundo o aplicativo Papa Recall, quando uma empresa anuncia a necessidade de recolher temporariamente um produto seu para repará-lo. O Papa Recall informa quando e o motivo pelo qual um veículo necessitou de recall.

É um problema que vem crescendo no Brasil e no mundo. Em 2009, foram 51 casos registrados, e chegaram a 166 em 2018. No total, envolveram 9,5 milhões de automóveis, segundo dados da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). Agora, porém, a questão está regulamentada por lei que, entre outros aspectos, determina: se o dono de um veículo não atender à solicitação do recall feita pelo fabricante, o fato passará a constar do documento de licenciamento do automóvel.

No caso do Onix, a medida foi decidida depois de duas unidades do modelo Plus incendiarem aparentemente sem razão. A Chevrolet, então, decidiu suspender as entregas e convocar o recall de 19.050 unidades produzidas entre 29 de abril de 2019 e 6 de novembro de 2019 com chassis LG100091 a LG139164. O processo teve início no último dia 18 de novembro.

A montadora informa que o problema tem origem na calibração do módulo de controle do motor, capaz de aumentar a pressão e a temperatura na câmara de combustão, provocando danos ao pietão, conforme publicado na imprensa especializada. Em consequência, se houver vazamento de óleo no compartimento do motor e ele entre em contato com as áreas quentes, pode ocorrer um incêndio. E, obviamente, isso coloca em risco os ocupantes do veículo.

O caso ressalta a importância de atender ao chamado para um recall, mas muitos o ignoram. A Portaria 3/19 dos ministérios da Justiça e da Infraestrutura determina que, se no prazo de um ano o chamado de recall não for atendido, o fato deverá constar no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. A norma foi publicada em julho último.

É uma maneira de desincentivar que proprietários ignorem o recall e os riscos que isso acarreta. Imagine, por exemplo, no caso do Onix, se seus proprietários pelos mais diferentes motivos não levarem seus carros para os reparos e depois os vendessem: poderia estar em circulação por ruas e rodovias uma frota com defeitos de fabricação e potencial de risco, possivelmente até sem o conhecimento dos novos donos.

Ou seja, recall é coisa séria e não pode ser desprezado pelos proprietários.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »