22/10/2017 às 22h55min - Atualizada em 22/10/2017 às 22h55min

Novo GTI 2018! Avaliações e impressões

Ainda é possível ser surpreendido por ele?

fonte: Autocar

Volkswagen Golf GTI 2017 recebeu, na Europa, algumas alterações sutis em termos estéticos, além de inovações em termos de recursos de assistência à condução e de tecnologia. Poucas mudanças são uma boa notícia, já que o Golf GTI dessa sétima geração é um carro que beira a perfeição, então, quanto menos mudar, melhor.
 


Apesar de o facelift não ter sido ostensivo na parte estética, este "novo" Golf GTI introduz uma série de novos recursos na linha Golf, mas sem retirar do Golf GTI o que faz deste um dos carros mais amados e cultuados do planeta, que é um conjunto formado por uma estética com identidade, comportamento dinâmico, conforto, acabamento e construção premium, tecnologia e segurança no estado da arte, por um preço "acessível".
 
Nesta versão 2017 o motor ganhou 10 cavalos, o que foi o suficiente para cortar o tempo da aceleração de 0 a 100 km/h por apenas um décimo de segundo, para 6,2 segundos e adicionar 4 km/h à velocidade final. Agora, o GTI básico tem a mesma potência do anterior GTI Performance.
 
Um novo pacote de Performance será lançado para o GTI ainda este ano, elevando a potência para 245 cavalos, e provavelmente adicionando o mesmo diferencial de Haldex de deslizamento limitado controlado eletronicamente. O vídeo a seguir mostra o veículo em detalhes.


O modelo básico do GTI, sem o pacote Performance, porém, mantém a mesma direção com assistência elétrica variável de antes, a mesma suspensão passiva, mas agora está disponível um sistema DCC - Dynamic Chassis Control - com amortecedores adaptativos.
 
O interior básico conta com os magníficos bancos em couro decorados com as mesmas discretas costuras vermelhas. O painel conta com um novo sistema de informação e entretenimento de 9,2 polegadas Discover Pro e traz ainda o novo cluster de instrumentos digital com tela de 12,3 polegadas e alta resolução. Assim como os bancos em couro, este painel é opcional.
 
A nova central de entretenimento tem tem uma imagem mais brilhante, e, pela primeira vez em um carro desse preço, oferece navegação por controle gestual. A VW, porém, retirou o botões físicos rotativos do volume de som, substituídos todos por comandos virtuais touchscreen - algo que leva mais tempo de ser acessado, e contribui para uma redução de atenção ao volante, o que é inadequado. 
 
O novo cluster de instrumentos digital não é tão impressionante ou fácil de configurar como o Audi Virtual Cockpit, mas, mesmo assim, ainda é bem interessante. O restante da cabine do GTI está praticamente inalterada. Os materiais continuam de alta qualidade, a posição de dirigir é excelente, o espaço interior é bom, a atenção aos detalhes é impressionante - características que fazem parte do brilho do Golf.
 
Na Europa, o Golf GTI conta com concorrentes mais potentes da Ford, Peugeot, Seat, Honda e outros, então será que os 230 cv são suficientes? Bem, assim como antes, trata-se, sobretudo, de um propulsor com uma qualidade e linearidade na entrega de potência sem igual. Este é um motor suficientemente responsivo e consistente, sobretudo se comparado aos mais agressivos que se acham nos rivais. E isso permite um ritmo de condução que os outros concorrentes não conseguem igualar. 
 
O GTI é mais que rápido o suficiente para qualquer estrada de país desenvolvido, que são o tipo de piso para o qual os hot hatchs são criados. Na Europa o GTI conta com opção de transmissão manual, mas a caixa DSG do modelo mostrado nas imagens é robusta, suave e de trocas muito rápidas, especialmente para o caso de uso dos paddleshifters.
 
O que define o GTI em termos de dirigibilidade é mais sua capacidade de envolver o motorista do que sua potência máxima de motor, e, também, sua firme e absorciva suspensão. É por isso que, enquanto os rivais usam suspensões mais duras e firmes, ou adotam  ajustes que resultam em uma condução dinâmica excessivamente direta, ou os dois - o Golf mantém-se com o mesmo magnífico e inigualável compromisso dinâmico que a Volkswagen vem refinando há quarenta anos.
 
O GTI sabe como superar uma ondulação. O modelo com amortecedores adaptativos entrega um nível de controle de carroceria que fica muito mais evidente e esportivo no modo ‘Sport’, mas mesmo assim o chassi filtra as irregularidades de qualquer via, mantendo o carro obediente, agarrado e balanceado, o que termina por dar ainda mais confiança ao condutor.
 
O GTI não é o tipo de carro que força uma presença artificial entre condutor e estrada, e sua direção transmite um maior feedback e com nível de assistencia ainda maior (o que é uma herança do Golf GTI Clubsport S).

Conclusão

O Golf GTI tem concorrentes na Europa com motores mais potentes. Mas nenhum deles chegou perto do ajuste com perfeito compromisso entre conforto e diribilidade. Além disso, o Golf GTI tem uma integralidade notável, não sendo apenas um carro para o motorista, mas um produto premium, e que continua a entregar o que os consumidores desejam um hot hatch clássico.
 
Este é um carro bem posicionado em termos de valor, conveniência, usabilidade, desempenho adequado de estrada e sofisticação dinâmica, e ao mesmo tempo acessível. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »