04/06/2020 às 06h07min - Atualizada em 04/06/2020 às 06h07min

NASCAR em Charlotte: muita ação e surpresa na quarentena

Por Guilherme Martins

Guilherme Martins - STH Automobilismo
No “final de semana” da aceitação na quarentena, tivemos ótimas corridas começando pela demorada e imprevisível Coca-Cola 600. Além de uma sequência histórica ter sido quebrada na Truck Series.

 O retorno a casa da NASCAR era esperado com ansiedade, já que teríamos quatro corridas seguidas, com rodada dupla da Cup, incluindo a mais que tradicional (e a corrida mais longa do calendário) Coca-Cola 600, sempre realizada em um dos finais de semana mais importantes para os americanos: o Memorial Day, comemorado como forma de homenagear todos que já defenderam a nação. Além do mais, como a logística seria feita para continuar o controle mais pesado para a prevenção do Covid-19, já que infelizmente o EUA é o país mais afetado pela doença, e que teriam as três categorias no mesmo local, e por consequência, um contingente muito maior do que foi teve em Darlington.
Como sempre, todo a estrutura dos eventos era focada para prestar suas homenagens aos homens e mulheres que lutaram e lutam pelo país, desde as pinturas patrióticas nos carros, até homenagens aos militares nos carros, com seus nomes estampados no lugar do nome dos pilotos (exceto na segunda corrida da Cup).
E, sem esquecer da caríssima chuva, que todo ano dá as caras durante esse fim de semana, e não poderia ser diferente, afetando os horários de início e até mesmo interrompendo as corridas da Cup, e por consequência, fazendo com que a Coca 600 do último domingo se tornasse a corrida mais longa da história da categoria.


O domingo começou com muita chuva na região de Charlotte, na Carolina do Norte e com isso, havia-se o temor de que a corrida seria adiada. Com o passar das horas, a chuva parou e os Air Titans (secadores) foram à pista para secá-la e deixa-la em condições para o treino que definiria o grid e para a corrida marcada para o final da tarde e início da noite. Kurt Busch, piloto do #1 da Chip Ganassi fez a pole e liderou a corrida pelas primeiras 50 voltas, onde a mesma foi paralisada por conta da chuva. Após pouco mais de uma hora e oito minutos, os motores foram religados e na rodada de paradas, Alex Bowman arriscou com dois pneus e saiu na frente, mantendo a liderança até o fim do primeiro estágio, terminado em amarela causada por Clint Bowyer, com problemas em seu carro #14. Bowman manteve com folga a liderança também no segundo estágio e no início do terceiro, mas após não conseguir se livrar do tráfego, Martin Truex Jr. assumiu a ponta e a manteve até o final do estágio, onde após amarela causada por Matt Kenseth, alguns pilotos não pararam e se mantiveram na frente até o final do mesmo, ganho por Joey Logano.
Truex recuperou a liderança após o início do último estágio, mas a mesma durou até a metade, após paradas depois da penúltima amarela do dia. Com tudo encaminhado, Chase Elliott, no #9 tomou conta da corrida, e quando se encaminhava para a sua vitória, seu companheiro de Hendrick William Byron rodou e causou a última amarela do dia, onde seu Crew Chief, Alan Gustafson tomou, pela maioria, a decisão mais contestável da temporada e umas das mais na história recente da categoria, chamando seu piloto para troca de pneus antes da relargada na prorrogação. Brad Keselowski, que não teve nada a ver com isso, ficou na pista e levou para a casa o caneco da corrida mais longa da história, sendo a primeira vitória de um Ford na Coca 600, desde Mark Martin em 2002. Elliott chegou originalmente em terceiro, mas após a desclassificação de seu companheiro de time, Jimmie Johnson, subiu para a segunda posição. Destaque também para Tyler Reddick e Christopher Bell, onde os postulantes ao prêmio de novato do ano fizeram ótimas corridas e terminaram em oitavo e nono, respectivamente.


Top 10 Coca Cola 600

1 – #2 Brad Keselowski - Ford
2 -  #9 Chase Elliott - Chevrolet
3 – #12 Ryan Blaney - Ford
4 -  #18 Kyle Busch - Toyota
5 -  #4 Kevin Harvick - Ford
6 – #19 Martin Truex Jr. - Toyota
7 – #1 Kurt Busch - Chevrolet
8 – #8 Tyler Reddick - Chevrolet
9 – #95 Christopher Bell - Toyota
10 – #17 Chris Buescher - Ford


Já na corrida da quinta-feira à noite (adiada após chuvas ininterruptas na quarta causadas pela Tempestade Tropical Berta [não a do seriado Two And a Half Men]), vimos mais uma vez em como a NASCAR acertou nas corridas de meio de semana, deixando-as mais curtas e, com a expectativa de chuva iminente, fazendo com que os pilotos buscassem a frente todo o tempo, assim como em Darlington. Após a inversão do top 20 da última corrida, Alex Bowman, foi o pole.
Assim como no domingo, a corrida foi paralisada logo no início. Com a bandeira amarela causada após incidente com Matt Kenseth, a chuva voltou e com isso, uma tempestade de relâmpagos atingiu a pista. Após 75 minutos, a corrida voltou e Logano venceu o estágio 1. Bowman recuperou a liderança e faturou o segundo estágio. Quando tudo se encaminhava para a vitória do piloto do #88, o mesmo acabou acertando o muro na saída da curva 4 durante o início do último estágio e acabou estragando a corrida do mesmo, terminando em trigésimo-primeiro, 2 voltas atrás.
Kevin Harvick, que estava fazendo uma corrida apagada, assumiu a liderança pouco antes e se encaminhava para a vitória, quando seu carro abruptamente (explicado pós-corrida como um acerto que era para janelas curtas em bandeira verde) começou a perder rendimento, fazendo com que Elliott, assumisse a liderança na volta 181 e rumando para sua primeira vitória na temporada, fazendo com o que o “espirito” do azar do domingo fosse exorcizado de vez. Destaques para Denny Hamlin, que estava desfalcado de seu Crew Chief, suspenso após o incidente pitoresco antes da largada no domingo, onde o carro, saindo do pit lane, teve a queda de uma peça gigante de tungstênio do carro, causando danos no carro #10 de Aric Almirola, terminando em segundo e Ricky Stenhouse Jr. em quarto, mostrando que sua saída da Roush-Fenway ao menos inicialmente está fazendo-o bem.
 

Dessa vez não houve erro de estratégia.
 
Top 10 Alsco Uniforms 500
1 – #9 Chase Elliott - Chevrolet
2 -  #11 Denny Hamlin - Toyota
3 – #12 Ryan Blaney - Ford
4 -  #47 Ricky Stenhouse Jr. - Chevrolet
5 -  #1 Kurt Busch - Chevrolet
6 – #22 Joey Logano - Ford
7 – #2 Brad Keselowski - Ford
8 – #3 Austin Dillon - Chevrolet
9 – #19 Martin Truex Jr. - Toyota
10 – #4 Kevin Harvick - Ford
 
Na segunda, tivemos a Xfinity Series em Charlotte, correndo no Memorial Day, O Homem-Melancia, Ross Chastain saiu na pole e manteve a dianteira da corrida até a volta 38, onde Kyle Busch, o Buschinho assumiu a liderança. Pelo histórico do piloto, havia-se o temor de que, ele sobraria na corrida, mas não foi o que aconteceu. Mesmo com a vitória no primeiro estágio, Busch, acabou por perder a liderança para Chastain após a relargada do segundo estágio, mas a recuperou no final do estágio para o mesmo Busch, após problemas negociando ultrapassagens sobre os retardatários. A corrida manteve-se estável no último estágio até a prevista rodada derradeira de pit stops em bandeira verde, onde tivemos o início do caos. Chase Briscoe, vencedor da última etapa foi punido por excesso de velocidade nos pits. O mesmo aconteceu Busch e Brandon Jones que até então, eram primeiro e segundo na corrida. Durante os pits, Timmy Hill, que se destacou durante a quarentena sendo uma estrela das corridas virtuais no iRacing, teve um estouro de motor, causando uma amarela e juntando o pelotão, e com isso, salvando a corrida dos punidos. Com a ameaça de chuva próxima, todos os pilotos começaram a arriscar em estratégias diferentes e tocadas ousadas e agressivas, causando uma sequência de três amarelas nas últimas trinta voltas (Briscoe no muro, Austin Hill e Jeremy Clements se chocando e Riley Herbst rodando). Com isso, tivemos prorrogação e Busch, que se recuperou nas últimas voltas relargou na frente e mesmo abrindo a última volta atrás de Austin Cindric, no #22, conseguiu recuperar a ponta e vencer a sua corrida de número 97 na divisão, se aproximando do número 100 (o mesmo prometeu que nunca mais iria correr na Xfinity se chegasse a 100 vitórias). O destaque fica para Brandon Brown, piloto do #68, que conseguiu seu primeiro Top 10 após a abertura da temporada em Daytona e para Justin Allgaier. O piloto da Jr Motorsports salvou um top 5 após sofrer com alguns incidentes durante a corrida (ficou sem comunicação; pit demorado para arrumar o problema; choque no muro). O líder da peleja, Chase Briscoe, terminou em vigésimo, mas conseguiu manter a liderança geral no campeonato.
 

Faltam 3!
 
Top 10 Alsco 300
1 – #54 Kyle Busch - Toyota
2 -  #9 Daniel Henric - Chevrolet
3 – #22 Austin Cindric - Ford
4 -  #10 Ross Chastain - Chevrolet
5 -  #7 Justin Allgaier - Chevrolet
6 – #02 Brett Moffit - Chevrolet
7 – #1 Michael Annett - Chevrolet
8 – #68 Brandon Brown - Chevrolet
9 – #18 Harrison Burton - Toyota
10 – #21 Myatt Snider – Chevrolet
 
Já na terça-feira, tivemos o retorno da Truck Series, e com isso, mais uma grande corrida com alguns nomes interessantes no grid, motivados por uma aposta especial. Após a corrida em Las Vegas, Kevin Harvick colocou em jogo 50.000 dólares para o piloto da Cup que vencesse Kyle Busch na Truck. O piloto do truck #51 estava invicto desde 2018 na categoria, vencendo as sete corridas subsequentes em que o mesmo participou. O mesmo fez Marcus Lemonis, CEO da empresa que possui os naming rights da divisão (Gander RV & Outdoors) e mais conhecido em terras tupiniquins como o apresentador do programa O Sócio, transmitido aqui pelo History Channel. Com 100.000 Doláres em jogo, destinadas a quem quebrasse a sequência, e por uma boa causa, já que o vencedor iria doar a valor para ajudar nos esforços contra a pandemia.
O pole Ben Rhodes, largou bem e manteve a liderança até a primeira rodada de pits na volta 16, vinda pela bandeira amarela de competição. Austin Hill teve sua liderança encurtada após grande recuperação de Ross Chastain que largou no fim do grid e acabou levando o primeiro estágio. Mesmo sem amarelas, o segundo estágio foi muito agitado e teve Kyle Busch como vencedor. Com o decorrer do estágio, Busch reassume a liderança, e mesmo com uma possível vibração no carro (podendo ser ocasionada por um pneu furado, manteve-se na frente, até que, na volta 97, o mesmo, junto com alguns outros, foi para os pits, e trocou apenas dois pneus. Assim, Zane Smith, assumiu a ponta e a manteve até a volta 112, quando Chase Elliott, assumiu a frente e a manteve até receber a bandeira quadriculada, quebrando a hegemonia do #51 e ganhando 100.000 dólares para serem doados, além de vingar Busch pelo ocorrido em Darlington, fora a comemoração, digamos, provocadora do piloto do truck #24, onde ele imitou a famosa comemoração de agradecimento de Kyle Busch.
 

Take a Bow, Chase!
 
Top 10 North Carolian Education Lottery 200
1 – #24 Chase Elliott - Chevrolet
2 -  #51 Kyle Busch - Toyota
3 – #21 Zane Smith - Chevrolet
4 -  #23 Brett Moffit - Chevrolet
5 -  #2 Sheldon Creed - Chevrolet
6 – #8 John Hunter Nemechek - Ford
7 – #13 Johnny Sauter - Ford
8 – #45 Ty Majeski - Chevrolet
9 – #16 Austin Hill - Toyota
10 – #99 Ben Rhodes – Chevrolet
 
A NASCAR volta já neste domingo e segunda com a Cup e a Xfinity em Bristol. A corrida da Cup está programada para começar as 16:30 e a da Xfinity as 20:00 na segunda (ambos os horários de Brasília)
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »