22/05/2020 às 06h54min - Atualizada em 22/05/2020 às 06h54min

Fórmula 1: Não Substime Daniel Ricciardo na Mclaren!

Por Renata Veríssimo

Renata Veríssimo
 Entenda os porquês da decisão da McLaren de contratar o australiano Daniel Ricciard. 
 
 
Na semana anterior a Scuderia Ferrari anunciou que o quatro vezes campeão da Fórmula 1, Sebastian Vettel, não correria com a equipe de Maranello em 2021, abrindo espaço para Carlos Sainz (atualmente correndo pela McLaren) ocupar a vaga do alemão na equipe italiana ao lado de Charles Leclerc. Já com a saída de Sainz da McLaren, Daniel Ricciardo foi quem ocupou a vaga deixada pelo espanhol.
Com essa dança das cadeiras acontecendo entre as equipes de Fórmula 1, tem-se lido na internet muitas opiniões dos fanáticos pelo esporte. Alguns estão exultantes com a ida de Ricciardo para a McLaren, outros duvidam que a Ferrari tenha feito uma boa escolha, tem os que falam que a McLaren optara por um piloto que é apenas simpático, mas sem muito talento... A verdade é que cada pessoa tem a sua opinião, e não posso dizer que uma está mais certa do que a outra, mas é um equívoco, e até injusto, alegar que Daniel Ricciardo é apenas o piloto palhaço do grid e sem muito talento. Mas então lhes pergunto: McLaren tomou a melhor decisão ao contratar Daniel Ricciardo?
O Honey Badger (Texugo-de-mel) é provavelmente o animal mais destemido do mundo. O mamífero tem uma aparência fofinha, porém ataca qualquer coisa que se mexa, desde cobras peçonhentas até leões, principalmente para defender o seu território. Este animal é conhecido por ser destemido, ágil e veloz. Daniel Ricciardo, no mundo da Fórmula 1, é apelidado de Honey Badger justamente por ter um comportamento parecido com o do ratel, na pista. O australiano é simpático e bem humorado, mas apresenta durante as provas velocidade, destreza e defende sua posição como ninguém, e suas ultrapassagens são agressivas, sem dar abertura para os seus adversários.
Daniel começou sua carreira na Fórmula 1 como piloto de testes da equipe Red Bull Racing (RBR) e de sua equipe irmã Toro Rosso, chamando atenção para suas voltas rápidas que batiam o tempo do campeão Sebastian Vettel. Para desenvolver as habilidades do piloto, em 2011, Ricciardo foi emprestado para a equipe espanhola Hispania Racing Team (HRT), e teria sua estreia no Circuito de Silverstone. No total foram 19 corridas e o australiano disputou 11, não obteve nenhum ponto e acabou em 27º no campeonato, porém o piloto demonstrou um constante crescimento e suas aptidões se destacaram mesmo no meio de pilotos bem mais experientes do que ele. Em 2012, Daniel entra oficialmente como piloto da Scuderia Toro Rosso e lá permanece até o final da temporada 2013, terminando em 14º no campeonato daquele ano. Em 2014, ele substitui Mark Webber na Red Bull Racing, onde permaneceu até final de 2018. Atualmente ele pilota para a Renault.
Em sua primeira corrida em uma equipe de ponta como a Red Bull, Daniel conquistou o segundo lugar, atrás apenas do seis vezes campeão mundial Lewis Hamilton, porém sua vitória foi descartada por uma infração encontrada no seu carro. Mais tarde, no Grand Prix do Canadá, ele compensou o pódio perdido e obteve a sua primeira vitória com uma ultrapassagem fenomenal em cima de Sérgio Perez, piloto da Force India. Ele tornou-se o quarto australiano a vencer uma corrida de Fórmula 1. Na Hungria, Ricciardo venceu novamente, ficando à frente de Fernando Alonso, bicampeão mundial, e Hamilton, e venceu novamente na Bélgica, somando três vitórias naquela temporada. No total, em 2014, Ric somou oito pódios, fazendo 238 pontos e terminando em 3º no campeonato, e trouxe embates emocionantes para as disputas, por exemplo, a ultrapassagem que fez em Sebastian Vettel em Monza. O alemão, companheiro de equipe de Ricciardo, terminou em 5º lugar, somando apenas 167 pontos.
Em 2015, no seu segundo ano de RBR, Ric não conseguiu repetir os seus triunfos de 2014, com apenas dois pódios, terminou em 8º no campeonato, atrás de seu companheiro Daniil Kvyat. Porém, ele obteve voltas mais rápidas do que na temporada de 2014. Em 2016, Daniel iniciou com um quarto lugar, e na segunda corrida, apesar de ter colidido com Valtteri Bottas, conseguiu a quarta posição. Em Mônaco, Ricciardo tinha tudo para ser o campeão daquela prova, porém sua equipe o chamou para o box sem estar pronta para recebê-lo, atrasando-o e fazendo Ric terminar em segundo lugar atrás do inglês Lewis Hamilton. Naquele ano, Daniel termina a temporada em 3º lugar somando 256 pontos, a frente de Max Verstappen que termina em 5º, e teve sua primeira pole position na carreira, oito pódios, quatro voltas mais rápidas do campeonato e apenas uma vitória. Em 2017 ele termina em quinto lugar com 200 pontos finais a frente de seu companheiro Verstappen. 2018 Ricciardo termina em sexto lugar, atrás de Max Verstappen que termina em quarto na competição. Já em 2019, na Renault, ele soma apenas 54 pontos e termina em 9º lugar, tendo no Grande Prêmio da Itália seu resultado mais expressivo do ano, quarta posição.
Daniel Ricciardo, como mostram suas estatísticas, não é apenas o arlequim do paddock sem muito talento. Ele trouxe para a Fórmula 1 atual embates inesquecíveis contra Lewis Hamilton, Valtteri Bottas, Sebastian Vettel, Nico Rosberg, Max Verstappen e outros pilotos, além de ter pódios expressivos contra grandes campeões da Fórmula 1. Ele deixou companheiros de equipes, como Vettel, no “chinelo” diversas vezes, e é considerado pelos chefes de equipes um dos melhores pilotos do grid vigente. Acredito que pilotos mais novos e antigos aprenderam muito com ele, principalmente porque se Ricciardo te ultrapassar é muito difícil conquistar aquele lugar de volta.
Depois que a McLaren rompeu com a Mercedes, e seu motor deixou de ser produzido por eles, a equipe inglesa teve uma decaída no seu rendimento. Atualmente seu motor é fornecido pela Renault, e se Daniel Ricciardo tivesse trocado a Renault pelo McLaren nesse cenário, talvez não tivesse tantos ganhos em seu rendimento. Porém, com a volta da fabricação do motor Mercedes para a McLaren a história pode ser outra. E acredita-se que um dos motivos para Ricciardo ter assinado com a McLaren foi apostando nessa mudança no carro em 2021. Para se ter sucesso na Fórmula 1, você tem que estar no lugar certo, na hora certa, e isso combinado com um piloto talentoso pode trazer vitórias. Um exemplo disto, é Lewis Hamilton que pode vir a ultrapassar Michael Schumacher em títulos. Hamilton conta não só com o seu talento, mas com uma boa estratégia de equipe e um bom carro. Daniel é o tipo de piloto que com o equipamento certo em suas mãos pode mostrar tanto quanto Charles Leclerc, Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Max Verstappen, nos dando corridas emocionantes e deixando os espectadores polvorosos. E com a sua personalidade de cara legal e simpatia, Ricciardo com certeza contribuirá para um clima ameno na equipe para que ele e seu parceiro, Lando Norris, tenham um melhor desenvolvimento e rendimento para a McLaren. Então, pode-se dizer que os fãs do australiano e da McLaren tem muito o que comemorar, pois Daniel Ricciardo acrescentará bastante, principalmente por sua experiência e sensatez, o que pode ser uma combinação para dias melhores que estão por vir.


* Baixe nosso App no playstore e acompanhe nossos artigos semanais!
https://play.google.com/store/apps/details?id=com.websg.stilohousecombr

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »