10/05/2020 às 09h42min - Atualizada em 10/05/2020 às 09h42min

Suspensão Preparada x Original

Por JP Ribeiro

João Paulo Ribeiro Buscar: ID... Título... Autor... Data Atualização - ////STH NOTÍCIAS
Esse é o primeiro artigo de uma série de 5, sobre o universo das supensões, espero que gostem!!

    A suspensão é responsável pela estabilidade do veiculo, pois sua ação de absorver irregularidades no piso/solo tem nessa característica, sua função principal.
   A suspensão é composta de uma série de componentes e não só de molas e amortecedores, visto isso, muita gente erra em fazer um monitoramento detalhado, no sistema em questão, por simplesmente limitar os componentes que o integram. Na grande maioria, proprietários leigos, que se limitam na informação e acabam de prejudicar uma boa manutenção.


 
Vamos detalhar os componentes do sistema de Suspensão:
Amortecedores:
O amortecedor tem sua funcionalidade interligada à mola. É o componente essencial ao sistema de suspensão. Ele atua no sentido de amenizar as irregularidades do solo em conjunto com a mola. Se o seu carro estiver sem estabilidade e com ruídos vindos dessa parte do carro, os amortecedores podem estar gastos. Isso provoca o desgaste prematuro dos outros componentes da suspensão e dos pneus, além de prejudicar a segurança do carro.

Mola
Juntamente ao amortecedor, compõe a principal função de amortecimento dos problemas da pista. Essa mola pode ser do tipo feixe de molas ou helicoidal.  Por ser muito flexível, a mola é o componente mais eficiente para filtrar as imperfeições do asfalto. Se o carro apresentar falta de estabilidade e barulho pela suspensão, o problema pode ser o gasto excessivo da mola.

Braço oscilante/Bandeja
Tem a função de servir como apoio para a coluna de suspensão, que é articulável, e o chassi. Atenção à dirigibilidade comprometida acompanhada do barulho na suspensão. As buchas podem estar gastas ou danificadas. 
 
Pivô de suspensão
Auxilia a coluna da suspensão no seu movimento de sobe e desce permitindo, assim, o ângulo de oscilação do braço. O maior indicativo de que estão gastos são ruídos.

Barra estabilizadora
Promove a ligação entre uma coluna de suspensão e a outra. Esse componente é o responsável pela estabilidade do veículo em altas velocidades, em retas e em curvas. Ela é presa à carroceria por buchas de ligação e às colunas por meio de bieletas. O sintoma de falha na funcionalidade desse componente é a falta de estabilidade e o barulho na suspensão.

    Depois de um breve resumo sobre o sistema de suspensão veicular, vamos ao que interessa. Qual é a melhor suspensão na prática, a preparada ou a original? Que fique claro, nossa intenção é sempre ajudar de forma técnica, os nossos leitores, e não fazer com o quê mude suas convicções e características, já que a preferência de uma boa dirigibilidade depende de você e do sistema como um todo.
    Suspensão original e a preparada, diverge em pequenos detalhes como a pressurização, altura das hastes, altura do prato, molas com efeito elástico menor ou maior do que outras e bolsas de ar. Sabendo isso, o porquê da preferência, já que possuem a mesma função. A questão meus caros é o centro de gravidade que diferencia as suspensões. Lá vem o mimimi... não acredito, meu carro não é preparado. Se pegarmos a termologia preparada, vai além de simplesmente ter um carro turbo, outra quando falamos de estabilidade, não necessariamente, o veiculo precisa ser “preparado”.
Vamos pegar um referencia, do que é centro de gravidade do veiculo:
    Centro de gravidade é o ponto onde todo o peso parece se concentrar. Ele influencia a estabilidade dos objetos e é uma fonte de preocupação para projetistas de automóveis, que sempre tentam mantê-lo o mais baixo possível.  Se fosse colocado em uma haste, o carro que ficasse apoiado sobre seu centro de gravidade teoricamente ficaria em equilíbrio, sem tombar para lado nenhum.
    O centro de gravidade é influenciado pelo posicionamento do motor. É por isso que os superesportivos -caso de Ferrari, Porsche e McLaren, entre outros- costumam ter motor central. Esses carros também se caracterizam por ter centro de gravidade muito baixo, próximo do chão. Nesse caso, e no dos outros carros que servirão para explicar centro de gravidade, ajuda imaginar uma caixa retangular de 1,5 m de altura por 3 m de comprimento com um peso de 100 kg em seu centro. Um superesportivo seria uma caixa com peso encostado no fundo. Quem tentasse virá-la ia suar muito e provavelmente não atingiria seu objetivo.
    Carros de passeio comuns seriam caixas com o peso a 25 cm de altura. Seria difícil virá-las, mas menos do que a "superesportiva".
Utilitários esportivos e jipes, em vez de ter o peso a 25 cm de altura do fundo da caixa, o teriam colocado a 50 cm, por exemplo. Um empurrão em sua lateral talvez fosse o suficiente para virá-la, daí a tendência maior que esses carros têm de capotar.
    Isso se deve às forças que atuam sobre o centro de gravidade. Para um superesportivo capotar, ele precisaria de uma força para elevar o peso e de outra para empurrá-lo para o lado. No caso do utilitário esportivo, cuja estrutura já suspende o centro, basta a força lateral para o capotamento.
Referencia:
https://www1.folha.uol.com.br/fsp/veiculos/cv2612199907.htm 
 
    Olha o mimimi voltando, “está explicado, meu carro não tem motor central e não é um utilitário esportivo”. Sim eu sei, mas a referência é que nos utilitários esportivos, eles querem potencializar o desempenho e não só a estabilidade, que é um dos fundamentos primordiais para isso. O tema em questão de nosso debate é saber se vale a aplicabilidade em nossos carros ou não. Com isso , vamos a uma pergunta básica, você quer mais segurança ou conforto? Propriamente é essa situação que diverge em nossos conceitos, quando falamos em rebaixar o carro.
 Esse vídeo, vai mostrar um teste nas duas configurações, uma de fabrica e a outra utilizando suspensão preparada.



    Bem, estamos aqui finalizando um artigo um pouco polêmico, mas divertido para o debate. não quero que ninguém ache que a suspensão preparada é melhor do que a original e vice e versa. De forma prática e técnica, estamos mostrando a diferença entre as duas e que você tenha argumentos técnicos, para debater sem acusar quem rebaixa seus carros, através de meios legais, empresas serias e produtos de qualidades e aprovados por órgãos competentes, não é relaxado. Deixe de mimimi e faça um argumento plausível, justificando o uso de ambas as suspensões. vlw galera!!! Editor JP Ribeiro adm ///STH
 
https://www.youtube.com/watch?v=CpYgSumc5vc https://www1.folha.uol.com.br/fsp/veiculos/cv2612199907.htm https://www.facebook.com/groups/fiatstiloclubevr/ https://www.facebook.com/groups/stilohouse/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »