27/03/2020 às 14h13min - Atualizada em 12/04/2020 às 00h13min

Comprei um Stilo Abarth e agora!

Comprei um Stilo Abarth e agora!
 
Quando a Fiat lançou o comercial do Fiat Stilo abarth em 2003 com aquele slogan conhecido: Ou vc tem ou vc não tem! Eu não fazia idéia que teria um em algum momento um exemplar da minha vida.
Por fim em 06 de janeiro eu Ribeiro Afonso, criador da página Stilohouse e Rafael Teles criador da RT Garagem, ex-donos do modelo Fiat Stilo Sporting, resolvemos comprar um Stilo Abarth 2003 para trabalharmos em um projeto audacioso, o carro em questão estava destinado a virar Sucata, resolvemos abraçar esse desafio como uma missão digna de filme, o intuito era de não só dar a ele uma sobrevida, mas também uma vida longa, nascia ali naquele momento o #projetoescorpion.


 
O #projetoescorpion não é um projeto de restauração, mas sim um projeto de recuperação e também melhorias, logicamente uma grande parte disso pode ser considerada como tal, além de atualizações,  tudo que nossas experiências com Stilo nesses 5 anos de plataforma da página Stilohouse, nos permitiria imaginar várias idéias no mesmo carro.
 
Vou tentar contar em etapas nosso desafio de compra desse Fiat Stilo Abarth, apelidado por mim carinhosamente de monstrinho. Na verdade não porque  ele causa medo nos Semáforos da cidade, em plena era turbo, mas porque causa pânico em possíveis futuros donos, desejosos desse modelo quando pensam nos possíveis custos de manutenções. O verdadeiro medo se chama Fivetech, velho conhecido dos nossos parentes talibãs mareieros.
 
Para comprar um Stilo Abarth, a primeira coisa que vc tem que ter é um belo saco roxo, sim não basta ter vontade, tem que ter disposição e muita coragem, um pouquinho de sorte também, ajuda mais ainda uma carteira sobrando algum tempo reserva ($$$) assim dizendo.
Digo isso, porque muitos que compraram esse carro no calor da suas emoções, tiveram alguma experiência complexa, algumas desanimadoras e outros de arrependimento, mas não vou generalizar todos,  seria injusto com todos os 942 proprietários de Stilo Abarth, levando-se em conta que em atividade com saúde não deve chegar nem a 1/3 desse número, penso eu.
 
Esse carro de certa forma é temperamental, lembro-me de um conversa com ex- presidente do Clube Stilo Brasil, dizendo: “Você vai cuidar e fazer manutenções e mesmo assim ele vai dar problemas, esse carro consegue ser ingrato, é sem explicação”; Talvez vida própria seja uma definição apropriada, onde ele escolhe seu dono ao invés do contrário. A impressão parece que quando melhor for cuidado, mais dor de cabeça vai ter, parece irônico, mas é um fato discutido no grupos mais reservados do carros, ao mesmo tempo q você vai achar nas ruas sucatas ambulantes andando com vigor, com três rodas e dois cilindros a menos... babando óleo e com mais avarias no painel do que uma árvore de natal, mas estará lá firme e forte...rsrs que assim continue para sorte de seu dono.
 
Primeira coisa que você precisa entender de forma definitiva é que apesar de vc poder usar muitas peças mecânicas do Fiat Marea, você não comprou um, muitas peças desse carro são especificas dele. Existem muitas dificuldades de se achar peças, considere isso com muita seriedade, muitas coisas dele você encontra na Rede Fiat ainda, mas preparem-se, lá eles pedem dois rins em quase tudo que tenha nome Abarth na descrição, vc escapa de dar seus rins em várias,  pq já não é possível encomendar, não é fácil, é cansativo, mas não é impossível. Mas certamente você não vai querer ter essa experiência duas vezes.
 
Nesse momento vc precisa se tornar literalmente um “polvo” digital e estender seus tentáculos em 360 graus, precisa começar pesquisar com profundidade tudo relacionado a esse carro. Acaba que por aprender muito nesse processo, as teorias de manutenção de como resolver problemas com gambiarras macabras by Nasa, são as melhores.  Continuando é  possível encontrar muitas peças nos grupos do carros, mas é necessário muito cuidado com golpes de vendedores de peças usadas, quando se negam usar mercado livre ou forma de pagamento seguro principalmente, a maioria q não oferece esse tipo de pagamento quase sempre dão algum prejuízo (golpe) a algum proprietário esperançoso de  ver seu carro andando novamente.
 
O golpe mais praticado são de vendas de módulo de injeção (um carma nesse modelo e no 16v) e também bomba de óleo do motor, nesse modelo possui alto valor na rede Fiat ( módulo de injeção em torno de R$ 6.500,00 e bomba de óleo 3.200,00) e  nos desmanches torna-se atrativa na mão de vendedores autônomos oportunistas, mas isso vou falar mais adiante.
 
Uma grande verdade desse carro foi a quase nenhuma nacionalização de peças, isso tornou a maioria refém do mercado de peças usadas, já que na rede Fiat muita coisa possui preço vulgarmente proibitivo já que quase tudo é importado.
 
Voltando ao nosso carro, compramos como definimos “carro 360”, para os que não conhecem esse termo, significa que o carro tem detalhes em 360 graus... kkk  gostamos de desafio...e se fu...quer dizer ganhar experiência tb..
 
De perto era feio, de longe parecia muito perto, mas estruturamente o carro era integro, os chicotes originais e lacrados  e o teto funcionava! Bingo! Negócio fechado. Quando dito que teto abria nem perguntei se o motor funcionava rsrs, na verdade sabíamos que a junta do cabeçote estava queimada, porem ainda sim funcionava. Por mais que minha intuição gritasse contra, Rafael Teles dizia: Boi vamos comprar, dá nada!
 
Negócio fechado!
 
Mandamos buscar o carro em Pindamonhangaba, interior de São Paulo, estava parado há 6 meses, segundo o dono e também cliente meu,  funcionado às vezes. Era a tentativa do ex­- dono de manter a esperança viva que tudo iria dar certo logo mais, ironicamente deu para ele, passou adiante.
 
Ao chegar começamos enumerar os ítens a serem corrigidos, trocados ou limpos, PQP! Deu vontade de correr, tudo q se olhava necessitava a mão de um dono cuidadoso e atencioso... foi foda, mas como gostamos de desafio mãos a obra.
 
Escolhemos um especialista em motores Fivetech Luciano Rodrigues, localizado em São José dos Campos no vale do Paraíbano interior de São Paulo,  a 90 km da capital paulista para a missão, velho conhecido nos grupos de Marea turbo, se dispôs a dar vida ao nosso monstrinho. Conhecido como PARDAL,  rapidamente notamos que mecânico de fivetech bom é disputado e tivemos que ser encaixados na sua agenda. Nesse caso tivemos que aguardar um encaixe na Pardal Racing, para que nosso Abarth tivesse então sua chance definitiva de mudar de destino, nesse meio tempo o pau comia na procura de peças e também na aquisição das mesmas.
 
Nesse intervalo, o carro passou por quatro dias em um lava rápido fazendo uma grande faxina detalhada. Foram quatro sessões intensas de lavagem detalhada no chassi para dar novamente a ele a cor prata original do seu chassi.
 
Aproveitei para desmontar algumas partes do carro para fazer higienização, pequenos reparos e também organizar, apesar de muita coisa a ser vista, mas o importante era começar.
 
Com a oficina liberada entregamos nosso monstrinho para a Pardal Racing para enfim desmontarmos tudo e avaliar motor, suspensão, freios, direção, chicotes, ar condicionado e etc, para começarmos de forma efetiva a missão de por esse carro para andar.
 
Na próxima Etapa vou contar um pouco do que encontramos debaixo do capô
 
Quer saber mais sobre projeto escorpion? Acompanhe nossa saga no nosso aplicativo stilohouse e também nas nossas atualizações no facebook e instagram... logo mais novidades!!

Ribeiro Afonso
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »