17/05/2022 às 08h25min - Atualizada em 17/05/2022 às 08h16min

Complicou a Entry-List

carlos alberto goldani - stilohouse.com.br
Em maio de 2022, com um terço (7 etapas das 21 previstas) da 74ª edição do Campeonato de MotoGP já realizado, o que um observador externo pode afirmar é que, importando um jargão futebolístico, “embrulhou o meio de campo”.
A decisão de abandonar a competição na próxima temporada, comunicada informalmente pela Suzuki no início de maio, associada aos resultados de pista obtidos pelos pilotos e ao rescaldo da crise econômica gerada pela pandemia de Covid 19 bagunçaram a “Silly Season”, a formação da Entry List de 2023.
 
O site totalsportal.com publicou em fevereiro deste ano um estudo do que seriam os ganhos anuais dos pilotos, o condicional se justifica porque as equipes não costumam divulgar estas informações e, diferente do que acontece nas categorias de acesso (Moto3 e Moto2), não existem bônus sobre os resultados de pista (pelo menos pagos pelos organizadores). Óbvio que esta relação não inclui valores de patrocínios individuais e prêmios por produtividade dos pilotos.
 


Marc Márquez

Pelos valores divulgados, o maior salário anual é do seis vezes campeão da categoria principal Marc Márquez, fruto de um quilométrico contrato assinado pelo piloto, que cobre até a temporada de 2024. Impressionante é que, mesmo pilotando com limitações físicas, Márquez justifica seus rendimentos entregando os melhores resultados da Honda em 2021 e na atual temporada.
 
Em 2020 o espanhol participou de uma única prova, a que se acidentou em Jerez, tentou devolver seu pagamento, o que não foi aceito pela HRC. Em 2021, apesar de ficar sem marcar pontos em 8 das 18 etapas, conseguiu contabilizar mais pontos (142) que seu companheiro de equipe Pol Espargaro (100) e dos dois pilotos da satélite LCR (Takaaki Nakagami e Alex Márquez, 76 e 70 respectivamente). Marc Márquez foi o único piloto Honda a subir no degrau mais alto do pódio na temporada de 2021, com vitórias em Sachsenring, Cota e Emília Romagna. Na temporada atual, embora ainda desastrosa para a Repsol/Honda que não conseguiu nenhum pódio, Marc é o piloto melhor classificado.


Joan Mir & Alex Rins

A desistência da Suzuki devolveu ao mercado os pilotos Joan Mir e Alex Rins, que eram tidos como com o contrato renovado com a fábrica japonesa. Mir é uma aposta segura para substituir Pol Espargaro no box da Honda e o rearranjo de assentos deve fazer um dos pilotos da LCR perder sua vaga. Sobre Alex Rins há um murmurinho que deve rumar para a KTM, que estaria interessada em seus serviços. Os mesmos boatos indicam também o interesse da empresa austríaca no australiano Jack Miller, que tudo indica deve perder seu lugar na equipe oficial Ducati para Enea Bastianini pelo brilhante desempenho do italiano nesta temporada.



Aleix Espargaro


A situação mais complexa é do decano das pistas, Aleix Espargaro. O piloto havia comentado no final da temporada passada que este seria o seu último ano, porém depois de protagonizar a primeira vitória da Aprilia no Mundial de MotoGP deve ter mudado de opinião. O grupo Piaggio, uma companhia italiana que produz uma série de veículos de duas rodas e veículos comerciais compactos sob 7 marcas: Piaggio, Vespa, Gilera, Aprilia, Moto Guzzi, Derbi e Scarabeo, investiu muito na MotoGP contratando técnicos e engenheiros qualificados. Esta é a primeira temporada da Aprilia como uma equipe oficial de fábrica, até então funcionava como uma satélite comandada por Fausto Gresini.

 CEO da equipe Massimo Rivarola e o diretor de tecnologia Romano Albesiano apostaram alto no nivelamento de performance prometido pelo regulamento da competição, e os resultados estão surgindo.

A grosso modo, a Aprilia está reeditando o que aconteceu com a Ducati quando contratou Jorge Lorenzo. O piloto que estava na equipe, Andrea Dovizioso começou a apresentar resultados enquanto o novo contratado tinha dificuldades com o equipamento. Aleix Espargaro está a seis anos na equipe e, segundo o que informa o site totalsportal.com, tem um salário muito menor que Maverick Vinales. É natural que o piloto queira negociar um novo contrato para a próxima temporada com condições mais satisfatórias. Aleix acredita que a evolução da Aprilia seja mérito seu. Há também um problema familiar, o mais velho dos irmãos Espargaro, apesar de ocupar a vice-liderança do campeonato, tem um salário muito inferior ao do seu irmão caçula Pol na Repsol/Honda.


Valores informados em fevereiro de 2022 pelo site totalsportal.com, um portal com informações detalhadas dos aspectos financeiros dos principais esportes.
 
Piloto Salário Base (US$) Equipamento Validade do Contrato
Marc Márquez 14.000.000 Honda 2024
Maverick Vinales 10.000.000 Aprilia 2022
Fabio Quartararo 6.000.000 Yamaha 2022
Joan Mir 6.000.000 Suzuki 2022
Pol Espargaro 3.500.000 Honda 2022
Franco Morbidelli 3.000.000 Yamaha 2023
Jack Miller 3.000.000 Ducati 2022
Alex Rins 3.000.000 Suzuki 2022
Andrea Dovizioso 1.250.000 Yamaha 2022
Alex Márquez 1.000.000 Honda 2022
Aleix Espargaro 750.000 Aprilia 2022
Miguel Oliveira 625.000 KTM 2022
Brad Binder 500.000 KTM 2024
Takaaki Nakagami 500.000 Honda 2022
Enea Bastianini 375.000 Ducati 2022
Fabio Di Giannantonio 375.000 Ducati 2022
Luca Marini 300.000 Ducati 2022
Darryn Binder 250.000 Yamaha 2022
Marco Bezzecchi 250.000 Ducati 2022
Raúl Fernández 250.000 KTM 2022
Remy Gardner 250.000 KTM 2022
Peco Bagnaia Sem Informação Ducati 2023
 



Fabio Quartararo

Há uma curiosidade enorme sobre a renovação do atual campeão do mundo Fábio Quartararo. Seu empresário já declarou que não aceita que seu representado tenha um salário menor que qualquer outro piloto, talvez a exceção de Marc Márquez, porém a conjuntura atual não permite mais loucuras como, por exemplo, o contrato atual de Maverick Vinales ou o que foi o contrato de Jorge Lorenzo quando se transferiu da Yamaha para a Ducati. A título de informação, vazou a notícia que o campeão de 2020, Joan Mir, teria aceitado uma redução significativa (50%) em seu salário para renovar com a Suzuki, caso esta não optasse pelo afastamento. Aleix Espargaro já deixou claro o seu descontentamento com a proposta inicial da Aprilia para uma possível renovação. O sucesso de Enea Bastianini no primeiro terço da temporada, um piloto relativamente barato, pode direcionar às equipes a apostarem em novos valores ao invés de colocarem todas as fichas em “cascudos”.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »