29/04/2022 às 10h22min - Atualizada em 29/04/2022 às 21h25min

Curitibana Bruna Wladyka, do Elas Pilotam, é a nova official rider da Motul

Conheça a história da motociclista e empreendedora curitibana que comanda movimento de empoderamento das mulheres no mundo das duas rodas

SALA DA NOTÍCIA Sara Saar
Motul
Divulgação

São Paulo, abril de 2022 – Idealizadora do movimento “Elas Pilotam”, de empoderamento das mulheres no universo das duas rodas, a motociclista, influenciadora e empreendedora curitibana Bruna Wladyka, 32 anos, é uma das novas official riders da Motul, multinacional francesa especializada em lubrificantes e fluidos de alta tecnologia. Com a recém-firmada parceria, a empresa reforça o seu posicionamento de incentivar a crescente participação das mulheres no motorsport, ao passo que Bruna tem a missão de ampliar a visibilidade da Motul perante o público feminino.

O interesse de Bruna pelo motociclismo teve início em 2013 com a idealização e produção do 1º BMS (Brasil Motorcycle Show), em Curitiba. Formada designer, ela começou a estudar a fundo o segmento de motos para criar todo o conceito do evento, que reúne cerca de 20 mil participantes em suas edições. “Organizando o BMS, fui conhecendo cada vez mais esse universo, tanto como é hoje, quanto a sua belíssima história, além de me deparar com pontos marcantes da presença feminina em tudo isso. Comigo não poderia ser diferente, precisava sair da garupa e pilotar minha própria moto, e essa mudança na minha vida pessoal e profissional me fez idealizar o movimento Elas Pilotam em agosto de 2018”, conta. 

A motociclista ressalta que não entrou nesse universo apenas por curtir moto e ter um hobby, mas porque viu a necessidade e a oportunidade de se posicionar sobre o que acredita e o que deseja mudar na sociedade. “Ao acompanhar esse mercado, percebi que as mulheres eram colocadas em segundo plano nos eventos e não eram inseridas nem percebidas como público consumidor”, comenta Bruna. “Decidi, então, criar o Elas Pilotam como um espaço de encontro para mulheres dentro das atrações do BMS com o objetivo de mudar essa realidade, fazendo com que motociclistas e garupas sintam que o evento foi pensado para que elas curtam e aproveitem tanto quanto os homens”.

Com a repercussão do espaço, a hashtag #ElasPilotam alcançou mulheres que pilotam, mas que também se identificam com esse estilo de vida em todo Brasil e em países como Argentina, Estados Unidos e Portugal. “O Elas Pilotam é um movimento, uma causa e uma marca. É uma mensagem de força, mudança e empoderamento”, declara Bruna. “Com o crescimento da visibilidade de forma orgânica nos últimos três anos, reforcei o posicionamento de incluir as mulheres como público consumidor e decisor no mundo das duas rodas. Afinal, tantas mulheres já lutaram por tantos direitos nossos, é nosso dever continuar esse legado”, afirma.

Muro da Morte

Em 2017, Bruna também decidiu trazer para o Brasil o Muro da Morte (Wall of Death, em inglês), atração centenária disposta em uma estrutura vertical de madeira, onde as motocicletas rodam a 90 graus. “Na época, havia sete ou oito muros da morte pelo mundo, mas nenhum na América Latina. Para criar o conceito e lançar a primeira atração do Brasil e da região, fui estudar a história do motociclismo e conheci trajetórias de mulheres pioneiras no segmento que enfrentaram muitos desafios antes de nós”, lembra.

Com a pandemia, em 2020 Bruna começou a se dedicar mais como pilota de flat track – corrida em pista oval de terra com chão batido – para participar em novembro de 2020 do primeiro campeonato da categoria, que ainda não tinha mulheres correndo no Brasil. “Abrir portas talvez seja uma das coisas que fui destinada a fazer, comecei sozinha e hoje já vemos muitas mulheres entre crianças e adultas nas pistas de Flat Track. E assim como mudou minha vida, também muda a vida dessas mulheres reconhecidas e valorizadas como pilotas, seja nessa ou em outra modalidade”, afirma.

Parceria com a Motul

Com um posicionamento bem definido, de inclusão e diversidade, Bruna conta que está muito feliz pela inédita parceria com a Motul, principalmente porque a empresa tem os mesmos valores e a mesma cultura. “Ter o apoio de marcas que acreditam na causa feminina nos dá mais força para continuar lutando. Quero que as pessoas olhem a Motul e saibam que a marca apoia esse movimento. Quero realizar outros grandes feitos por todo o país e trazer essa visibilidade para a Motul”, finaliza Bruna, que também é patrocinada pelas marcas Pirelli, Bell Helmets e Wrangler, entre outras.

Sobre a Motul 
Há mais de 165 anos no mercado mundial, a Motul é uma multinacional francesa especializada na formulação, produção e distribuição de lubrificantes e fluidos de alta tecnologia para diferentes segmentos, como carros, motos, pesados, veículos clássicos, agrícolas, náuticos e karts. A empresa também conta com a vertente MotulTech para a oferta de lubrificantes industriais.

Presente no Brasil desde 1992, a Motul tem as pistas como o seu principal laboratório para desenvolver o produto certo para cada aplicação, com apoio a grandes equipes em competições nacionais e internacionais, como Dakar, 24 Horas de Le Mans, FIA World Endurance Championship, Super GT, Drift, MotoGP, World Superbike, MXGP, IOM TT, Imsa, Rallycross, F1 Boat e Sertões. 
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »