25/04/2022 às 18h24min - Atualizada em 25/04/2022 às 19h10min

Ferrari faz a transição da conectividade 4G para 5G com ajuda da simulação computacional

Softwares da desenvolvedora Ansys, parceira da multinacional brasileira ESSS, estão otimizando os resultados da Ferrari Competizioni GT

SALA DA NOTÍCIA Sandro Paim
Reprodução

Corridas automobilísticas têm tudo a ver com carros e dados rápidos. Os automóveis de corrida modernos podem ser conceituados como computadores poderosos que viajam a mais de 300km/h, coletando e enviando níveis sem precedentes de dados em tempo real sobre a tecnologia e os sistemas por trás de seu desempenho. Em um esporte de alto risco, essas informações incluem as principais métricas de desempenho com o poder de transformar os resultados na pista. Em um ambiente em que os resultados são determinados por décimos de segundo, a Ferrari utiliza a tecnologia 5G e simulação computacional para aumentar a conectividade e otimizar o fluxo contínuo de dados necessários para superar a concorrência.

Em um ambiente de corrida, a transição da conectividade 4G para 5G resulta em dados entregues a uma velocidade muito maior e largura de banda muito maior, então há mais simulação em tempo real acontecendo ao mesmo tempo. Durante uma corrida, onde o sucesso pode ser medido por uma fração de segundo, o 5G permite que toda a equipe de pilotagem tenha acesso mais rápido a dados críticos sobre problemas mecânicos, furos de pneus e outros sistemas para manter os pilotos seguros na pista. Esse cenário também é fundamental para que engenheiros e mecânicos prevejam cada intervenção necessária durante um pit stop. 

A Ferrari está recorrendo à tecnologia de simulação Ansys para ajudar nos aspectos críticos de escolha e integração de componentes de conectividade. Um bom ganho de sinal da antena 5G é um dos pontos fundamentais para superar o atraso de latência da tecnologia 4G. Isso é extremamente importante em competições de alto risco no imediatismo do momento, quando as condições exigem que a caixa e o piloto se unam para tomar a decisão certa o mais rápido possível.

O que esperar do futuro com o 5G

"Digitalização, indústria 4.0 e digital twin são temas interessantes que deverão ser desenvolvidos com a implementação do 5G. Outra palavra que sempre paira quando essa tecnologia é abordada é latência, ou seja, o tempo de resposta que uma determinada ação do usuário tem em relação a uma resposta do sistema. O 5G tem uma latência muito menor quando comparado com outras tecnologias, o que possibilita aplicações que precisam de ações em tempo real e com muita precisão, como em medicina e educação", afirma Luiz Gustavo Amaral, Especialista de negócios na ESSS, empresa brasileira parceira da Ansys.

O padrão de radiação da antena 5G está sujeito a inúmeras interações com o chassi do carro, assentos, painel, para-brisa e muito mais. Para evitar interferências de sinal indesejadas, o comportamento eletromagnético da antena neste novo ambiente precisa ser avaliado, e diferentes pontos de instalação e orientações do dispositivo devem ser considerados. Aqui também entra o simulador da Ansys, utilizado para  projetar e simular eletrônicos de alta frequência, incluindo antenas e conjuntos de antenas. Com essas e outras abordagens, a Ferrari Competizioni GT pode obter resultados precisos sobre o desempenho da antena por meio de simulação em tempo recorde.

Do ponto de vista técnico, a equipe trabalha dentro de um conjunto complexo de regras para aprimorar todas as características de desempenho dos carros de corrida. A Ferrari investe continuamente em simulação de engenharia, um recurso justificado por seu desempenho vencedor na pista. 

Quer saber mais sobre o 5G e sua revolução no mercado? O podcast CAE Talks tem um episódio dedicado ao tema. Acompanhe no Spotify e no YouTube.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »