14/06/2021 às 17h38min - Atualizada em 15/06/2021 às 00h00min

Dicas para mulheres se sentirem poderosas e donas de sua vida

SALA DA NOTÍCIA LUCAS WIDMAR PELISARI
 

Por muito tempo as mulheres foram submetidas a controles sociais, que limitavam todas as suas liberdades individuais. Durante essas épocas sombrias, basicamente a mulher servia para procriar e cuidar da casa e dos filhos. A participação da mulher na sociedade era reduzida a nada, e a ela não era reconhecido nem mesmo o direito de ser cidadã. 

 

Por muito tempo essa realidade perdurou, e as mulheres já não questionavam mais o porquê de toda essa marginalização. 

 

Foi com o advento das guerras que esse cenário começou a mudar, sendo conhecido como o cerne da redescoberta da importância da mulher na sociedade. Isso aconteceu porque quando os homens saiam para guerrear, passavam muitos anos fora, e alguns deles nem voltavam para casa. Nesse momento, as mulheres precisaram assumir o controle das suas vidas, ficando assim responsável por tudo que o marido deixou. 

 

Nesse período, iniciou em todo o mundo o movimento feminista, primeiramente liderado por mulheres da classe alta, e burguesas, que reivindicavam o direito ao voto, e essa ficou conhecida como a primeira onda feminista. 

 

Após essa conquista, as mulheres não conseguiram ficar caladas, e trouxeram ao movimento mulheres de classe baixa, média, mediana, negras, homossexuais, enfim, mulheres de todos os tipos, raças, religiões, e com essas forças começaram a questionar as diferenças sociais, o direito à liberdade sexual, e todas os outros direitos que as impediam de ser livre, como a diferença salarial, a submissão sexual da mulher que era reduzida às vontades do homem, enfim, vários aspectos foram questionados nessa área. 

 

Foi diante desta perspectiva que as mulheres decidiram iniciar a terceira onda feminista. Alguns acreditam que essa onda ainda dura até os dias atuais. Nesta época a luta foi para que as garantias fossem institucionalizadas, ou seja, virassem lei, e também para que as próprias mulheres não se acomodassem com o que já haviam conquistado. 

 

Diante todo o exposto, podemos perceber que o empoderamento da mulher foi conquistado por muitas lutas, e muitas de nós morreram para garantir que as outras pudessem desfrutar de um simples voto, ou do uso de um simples biquíni.

 

O cerne do descobrimento do empoderamento está justamente no aprendizado e na compreensão de toda essa história de submissão a que as mulheres foram submetidas por tanto tempo.  

Sendo assim, não existem dicas que sejam adequadas a todas as mulheres, afinal, cada pessoa vive uma realidade, e se conscientizar disso já é um passo muito grande para quem deseja ser dona da própria vida.

 

Uma mulher poderosa, empoderada, pode ser reconhecida dessa forma por vários tipos de atitude. Seja pela sua autonomia, ou pela sua liderança, pelo seu ativismo, ou seja, não existem caminhos certos, para se chegar ao ponto final. Diversos caminhos podem levar até ele. 

 

Para começar o seu processo de empoderamento, é importante que você não limite a sua essência aos comentários de outras pessoas. Uma mulher que é dona da sua vida não se deixa levar por qualquer tipo de ameaça. Uma mulher que é dona da sua vida não liga para opiniões que não sejam agregadoras, elas simplesmente ignoram. 

 

Todas as pessoas precisam de ajuda, e ser uma mulher empoderada e dona da sua vida não significa sair pisando em cima de todas as pessoas, e sim saber dos seus limites, e impor respeito de todas as pessoas, na mesma proporção que ela oferece esse respeito. 

 

Ser uma mulher empoderada é ter a liberdade de escolher o que fazer, a liberdade de literalmente ser LIVRE. 

 

Livre para fazer suas escolhas, livre para saber os seus limites, e reconhecer suas falhas, e suas qualidades. Livre para trabalhar seus direcionamentos, sua autonomia sexual, seus desejos (que atualmente não precisam mais de uma figura masculina, pois você pode encontrar outras formas de satisfazer os seus desejos, como nesse site- Miss Scarlet).

 

As mulheres poderosas geralmente são independentes, e não gostam de depender de outras pessoas. Elas buscam se levantar de cada tombo, mais preparada ainda para enfrentar as realidades da vida. 

 

Vale lembrarmos que essa independência foi conquistada a partir de muita luta, e que todas essas lutas devem ser imensamente valorizadas por nós, mulheres. 

 

Para que você seja considerada uma mulher empoderada, basta que você seja livre para fazer as suas escolhas, com independência e consciência. Saiba reconhecer o caminho traçado por cada mulher antes de você. Busque fazer justiça, no sentido mais literal da palavra, ou seja, busque ser você mesma, e corra atrás daquilo que te faz bem, sem se preocupar com o que as outras pessoas podem pensar de você. 

 

Analisar os passos traçados por nossas antecessoras é extremamente fortalecedor de todo esse movimento de luta e igualdade. A realidade é que ainda estamos longe do fim das desigualdades, mas com o aumento de mulheres poderosas e donas de sua vida, esse percurso fica cada vez mais perto do fim. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »