04/01/2021 às 16h01min - Atualizada em 04/01/2021 às 15h01min

Como tudo começou

Carlos Alberto Goldani - stilohouse.com.br
 
 
Muito provavelmente a primeira disputa entre motos aconteceu em um encontro casual entre dois dos primeiros clientes de uma fábrica de veículos de duas rodas equipado com um motor de combustão interna, na Alemanha em meados da década de 1890. Poucos anos depois foi realizada a primeira prova organizada, um percurso entre Paris e Nantes, poucos inscritos conseguiram completar o trajeto. Em 1906 alguns britânicos organizaram uma corrida chamada Troféu Turismo na Ilha de Man, nas estradas de uma dependência do Reino Unido, escolhida por não haver limites de velocidade na legislação local, na Inglaterra a velocidade máxima em estradas estava limitada a 35 km/h. A organização de corridas com motocicletas, ainda que com regras confusas, prosperou em toda a Europa Central nos anos que antecederam a Segunda Grande guerra. 
 
A Federação Internacional de Motociclismo (FIM) é uma entidade que promove e administra competições motorizadas sobre duas rodas, representa uma centena de entidades nacionais distribuídas em em seis regiões continentais (Europa, Asia, África, America do Norte, América do Sul & Oceania). A participação tupiniquim é representada pela Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM). A FIM também está envolvida em muitas atividades relacionadas com o esporte, sua segurança e políticas públicas conexas A Federação foi a primeira entidade desportiva internacional a publicar, em 1994, um Código Ambiental e, em 2007, criou uma comissão específica para apoiar as mulheres no uso de veículos motorizados de duas rodas e práticas esportivas.
 
A origem da FIM pode ser rastreada até 1904, ano em que o clube de motociclismo da França organizou um evento internacional e convidou participantes da Áustria, Dinamarca, França, Alemanha e Grã-Bretanha. Com regras escritas por franceses e juízes franceses, não houve surpresa em a França ser declarada a vencedora da competição. Para equalizar as condições em futuros eventos, os cinco países criaram um órgão centralizador, a Fédération Internationale des Clubs Motocyclistes (FICM). A entidade teve vida curta e foi desativada em 1906 por absoluta falta de consenso. A Auto-Cycle Union, entidade britânica que administra o esporte de duas rodas na Inglaterra e Ilha de Man, promoveu o renascimento do FICM em 1912 com o objetivo de restabelecer e controlar o desenvolvimento do motociclismo nos aspectos esportivos e de turismo. Os dez países que atenderam à convocação são considerados membros fundadores do FICM: Bélgica, Dinamarca, França, Grã-Bretanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Alemanha, Áustria e Suíça. O ano seguinte acolheu o primeiro evento internacional realizado sob o patrocínio da FICM: o International Six Days Reliability Trial.
 
A prova internacional de resistência de 6 dias foi a precursora das disputas de Enduro. Evento de motovelocidade off-road mais antigo do calendário da FIM, tem periodicidade anual e só foi interrompido nos períodos das duas Guerras (1914-1918 & 1939 -1945). Reconhecido como um teste de confiabilidade das máquinas e habilidade dos pilotos, originalmente foi chamado de Teste Internacional de Seis dias (International Six Days Trial - ISDT), em 1981 a FIM decidiu atualizar o nome para International Six Days Enduro, mudança sugerida pela representação norte-americana para refletir a mudança do evento para um rally com habilidades associadas ao motocross. A prova também incluiu a participação de mulheres, como foi o caso de Marjorie Cottle nos anos 20-30.
 
Marjorie Cottle
 
Até 1973, quando houve uma competição nos Estados Unidos, a prova sempre foi disputada em território europeu. Desde então tornou-se um evento realmente internacional e foi hospedado pela Austrália (1992 e 1998), Estados Unidos (1973 e 1994) Brasil (2003), Nova Zelândia (2006), México (2010) e Argentina (2014). 
 
Nos anos que antecederam a Segunda Grande Guerra o número de associações nacionais participantes cresceu para três dezenas e em 1936 a entidade promoveu o seu primeiro campeonato internacional atribuindo ao vencedor o título de campeão mundial.
 
A Segunda Grande guerra entre 1939 e 1945 provocou a suspenção das atividades esportivas no continente europeu, que foram retomadas em 1946, ano em que a FICM foi reorganizada e rebatizada como FIM e, desde 1049, passou a promover anualmente o campeonato mundial de motovelocidade. A primeira corrida promovida e com a regulamentação da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), válida para um campeonato mundial, foi realizada na Ilha de Man em junho de 1949.
 
A FIM promove e regulamenta mais de 60 campeonatos mundiais e classifica provas de motociclismo em quarto categorias principais, Road Racing,Motocross, Enduro/Cross Country e Track Racing, cada qual com diversas subcategorias. 

Road Racing ou corridas de estrada disputadas por motos em superfícies pavimentadas, normalmente asfalto. Podem ser realizadas em autódromos dedicados ou vias públicas vedadas ao tráfego nos dias de competições. 

Motocross (ou MX) é o equivalente ao Road Racing para disputas fora de estrada. Circuitos de motocross são montados em diversos tipos de superfícies não pavimentadas, terra, areia, lama ou grama e tendem a incorporar topologias acidentadas, naturais ou artificiais. O desenvolvimento tecnológico dos componentes das motos, especialmente a suspensão, permitiram a preferência por circuitos com “saltos” que contribuem para criar espetáculos com maior impacto visual para os espectadores.

 
A plasticidade do Motocross
 
Enduro & Cross-Country é uma forma de competição fora de estrada centrada na resistência dos equipamentos e pilotos. Em uma prova típica os pilotos cumprem um traçado de não menos de dez milhas em uma janela limitada de tempo, por trilhas com piso acidentado. Uma prova normal dura entre 3 e 4 horas, embora eventos mais longos não sejam incomuns. Algumas competições de campeonatos nacionais e mundiais acontecem ao longo de vários dias e exigem que os trabalhos de manutenção durante a realização da prova ou em períodos pré-agendados. Para evitar burlar as restrições de manutenção, as motos são mantidas durante a noite em armazenamento seguro. O principal campeonato desta modalidade é o World Enduro Championship (WEC) que tem eventos em toda a Europa e algumas incursões na América do Norte. 
 
Track Racing e uma modalidade de esporte motorizado de duas rodas realizados em pistas curtas e de formato oval, cobertas ou não. Existem variantes contemplando diversas extensões de traçados e tipos diferentes de piso.
Uma prova de Track Racing


Road Racing tradicional contempla competições realizados em circuitos dedicados ou estradas públicas fechadas ao tráfego. Poucos eventos de estrada resistiram através dos tempos e apenas umas poucas provas são realizadas neste tipo de circuito. Existem dois campeonatos principais, o International Road Racing Championship e o Duke Road Racing Rankings, este último é responsável pela maioria das provas de estrada que acontecem todos os anos. As corridas mais significativas são O Troféu Turismo Ilha de Man (Isle of Man TT), North West 200, e Ulster Grand Prix, todos disputados em traçados com mais de 10 km. As médias de velocidade na Ilha de Man e North West excedem 215 Km/h. A Irlanda tem muitos circuitos de corridas de estrada ainda em uso, provas também são disputadas em países como Espanha, Bélgica, Alemanha, Grã-Bretanha (Monte Oliver), República Checa, Ucrânia, Nova Zelândia e Macau.
 
North West 2000 - Irlanda


O FIM World Championship Grand Prix, resumidamente MotoGP, é o principal e mais conhecido campeonato de Road Racing, realizado exclusivamente em autódromos. A pandemia do Corona Vírus impactou significativamente no fluxo de receitas da categoria, estudos recentes estimaram que houve uma perda de 74 milhões de Euros na arrecadação esperada pelo setor de turismo no Algarve pela realização do GP de Portimão sem público. A organização do certame é um trabalho conjunto da FIA, de uma empresa que que administra os interesses comerciais (Dorna) e das associações de pilotos, equipes e patrocinadores e dos fabricantes. Este ano conta com a participação de seis fábricas, Yamaha, Honda e Suzuki do Japão, Ducati e Aprilia da Itália e a austríaca KTM. 
 
A competição é segmentada em três classes distintas:
 
Moto3 - introduzida em 2012 especifica provas entre motos 250cc, quatro tempos e cilindro único, uma evolução das especificações anteriores de motos 125cc com motores de dois tempos.  A idade máxima para os pilotos é 28 anos (25 anos para contratados que tenham disputado pelo menos um GP como piloto avulso). 
 
Meikon Kawakami – Piloto tupiniquim na Moto3 em 2019

 
Moto2: Classe intermediária com motores 4 tempos, 3 cilindros com 765cc, fornecidos exclusivamente pela Triumph.
 
Largada da Moto2 em Losail (Catar) 2020

 
MotoGP: Define a excelência em termos de GPs de motovelocidade. A classe abriga exclusivamente protótipos e durante o passar dos anos a especificação de motores evoluiu, os 500cc dois tempos utilizados até 2002 compartilharam as pistas com os 990cc quatro tempos e a partir de 2003 foram excluídos da competição.  Em 2007 a capacidade máxima foi reduzida para 800cc e em 2012 estabilizou com a atual especificação de 1000cc, quatro tempos. Os equipamentos que disputam a MotoGP não são derivados de qualquer moto de produção industrial.

 

Largada da MotoGP em Jerez - 2020


Superbike é o principal campeonato de motos produzidas em série do planeta. Utiliza motos de 1000cc e é uma competição com forte apelo comercial porque é uma vitrine para modelos que estão sendo comercializados nas concessionárias. O Mundial de Superbike obriga, em seu regulamento técnico, que os modelos utilizados sejam produzidos em série, com poucas modificações, as vistas frontal, lateral e de traseira devem corresponder às da moto homologada para utilização em vias públicas, ainda que alguns elementos mecânicos da máquina possam ser modificados.
 
Supersport é outra categoria Road Racing que emprega motos modificadas de produção. Para ser elegível para a uma prova a moto deve ter um motor de quatro tempos entre 400cc e 600cc para equipamentos de quatro cilindros ou entre 600cc 750cc para dois cilindros e deve ser homologado pela FIM. As especificações técnicas são muito restritivas, as máquinas devem permanecer em grande parte como padrão, modificações no motor são permitidas, mas fortemente regulamentadas. 
 
Superbike e Supersport são categorias mais acessíveis em termos de custo.
 
Os campeonatos American Motorcyclist Association (AMA) Supersport, British Supersport, World Superbike Championship (WSBK) e World Championship Grand Prix (MotoGP) são os mais importantes promovidos pela FIM na categoria de Road Racing.

Em função da amplitude e diversidade de competições de motovelocidade, os textos complementares vão limitar a sua abrangência ao Road Racing.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »